Um feliz natal e um feliz ano novo a todos! Volta com a gente só um pouquinho?





 

“Para mim só existe percorrer os caminhos que tenham coração, qualquer caminho que tenha coração. Ali viajo, e o único desafio que vale é atravessá-lo em toda a sua extensão. E por ali viajo olhando, olhando, arquejante.” Dom Juan in Carlos Castañeda, A erva do diabo

Caro leitor, cara leitora dessa jovem casa de quadrinhos, obrigado(a) pela caminhada até aqui, pra gente, pra gente nesse início onde tudo parece possível, já é uma jornada e tanto, viu.

Será que estamos rápidos demais? As etapas estão em boa conta? Algumas coisas, e que venham logo à frente, é quase como se não estivessem no tempo. Não sabemos onde estão, se fora ou dentro ou quando. A iniciativa dos artistas da Guará e seu inesgotável maestro que, juntos, sintonizados, em amor intenso à arte, publicaram e produziram mais de duas mil páginas de pura HQ em pouco menos ou pouco mais de doze meses, é uma dessas coisas que não sabemos explicar bem de onde ou como vem. Elas simplesmente aparecem. Surgem com alguma força aparentemente desconhecida. Forças, devemos dizer. Forças de todos os cantos, escrevendo, promovendo, desenhando, colorindo, editando e distribuindo quadrinhos todos os dias.

Quadrinhos, gente boa. Quadrinhos nossos! 2000 páginas só de quadrinhos nacionais em uma mesma casa editorial. Vamos sentir um pouco de orgulho? Isso é quase uma bíblia, versão ilustrada, bênção das musas, de lua a lua, um ano inteirinho. Deu samba?

Começamos como o ano? Lembram-se? De telhado em telhado, como gatunos, espetaculare em cada salto, em cada assalto, roubando um tantinho mais de Meneghetti, o velho Meneghetti, para nosso imaginário novamente, para nossos olhos. Robin Hood é aqui!

Bom, e depois...Depois a Kriança. Sabe aquela kriança que vive em todos nós? Sabe, né? Aquela que salva o dia sem piedade, numa virada de página, sempre sedenta, sempre justa. Isso, ele, ela mesma, o pequeno azougue, a máquina selvagem. A máquina de matar brancos malditos. Matar brancos malditos traidores da floresta (vamos acreditar na licença poética, leitor. De outro modo, cuidado com a kriança...). Essa lavou a alma de muita gente em 2021. Kriança índia, precisamos de você mais do que nunca. Volta logo. Volta aqui pra gente.

Tivemos Crisálida. Crisálida! Uma história de outra criança, Ana, que igualmente nos devasta e nos desarma com o mínimo possível de quadros e afetos certeiros. As lições e a sabedoria do amor culminam, cada uma delas, suaves como uma borboleta. Ou como um avô enferrujado(Grrrrmmm). Ainda há tempo, talvez ainda haja tempo, de aprender que não apenas os momentos em que precisamos uns dos outros nos definem, mas sobretudo os mais difíceis nos quais qualquer acolhimento parece pouco e tudo o que nos torna humanos insiste em nos pôr à prova, não importa a idade. Cultivar a diferença, cultivar o amor, cultivar....Crisálidas. De onde vem tudo isso?

Podemos responder com Teocrasília? Podemos responder qualquer coisa com Teocrasília, leitor. Teocrasílias, dois, e mais um vindo no próximo ano, têm todos os tempos que desejamos, a urgência deles especialmente, e traz consigo talvez o sentimento mais forte de mudança, consciência e ruptura em aliança com aquilo que a própria Guará vislumbra encarnar enquanto um movimento maior. A banalização, imaginemos somente os dias atuais, não apenas da morte, mas do trágico, a insensibilização do outro, da dor do outro, a anestesia da existência mesma e sua angústia, cobram, sempre cobram, o valor da carne. E Teocrasília, amigos, é um excelente juiz. Julga com tudo o que tem. Julga com o coração enlevado, com o infinito, palavra nossa, com todo o infinito que nele acusa. É ainda, como diria Nietzsche, outro profeta, uma sabedoria para depois de amanhã. Há de lê-los logo.

E, claro, finalmente, lançamos o almanaque. Os almanaques, celebremos cada um até aqui, são a expressão mais autêntica desse tesão coletivo que a editora tem em levar o máximo de histórias possíveis, boas histórias, de forma recorrente, todo mês, em assinaturas, via amazon, em comic shops, bancas e livrarias, por um preço bem bacana, bem bacana mesmo. Palavras, imagens, ideias, cores, afetos, sonhos. Esse almanaque é muito mais, viu. É mais do que uma editora só representa, isso já podemos dizer.

Que venha 2022 então? Estamos prontos? Cuidado, cuidado sempre. Vamos em busca de mais universos, mais universos nossos, coisa nossa, coisa que só a gente diz entender e demora um pouco pra explicar, sabe. Aquele Brasil, aquele.. Enfim. Cuidado. A gente tá junto agora.

Um feliz natal, ano que vem nos vemos, desejamos muitas realizações a todos. As melhores!

Ah...a propósito, o leitor pode participar disso tudo com mais entusiasmo do que imagina, a Guará está sempre de portas abertas, convocatórias semestre em semestre, com ideias e formatos para muito mais gente chegar junto. Só tem um problema: venha com sonhos. Venha fulminante. Venha nas brechas do Universo. ;)



 



Universo Guará 2021

Almanaque Guará #01. Alex Mir; Dilacerda; Mateus Manhanini; Lauro Kociuba; Rapha Pinheiro • P. R. Soliver; Vitor Wiedergrün; Pedro Ivo; Marcelo Costa

Almanaque Guará #02. Alex Mir; Dilacerda; Mateus Manhanin; Lauro Kociuba; Rapha Pinheiro; P. R. Soliver; Vitor Wiedergrün; Pedro Ivo; Marcelo Costa, Pacha Urbano

Almanaque Guará #03. Alex Mir; Dilacerda; Mateus Manhanini; Lauro Kociuba; Rapha Pinheiro; P. R. Soliver; Vitor Wiedergrün; Pedro Ivo; Carlos Rici ; Pedro Cupert; André Silva, Pacha Urbano

Almanaque Guará #04. Pedro Ivo, Lauro Kociuba, Rapha Pinheiro, P.R.Soliver, Vitor Wiedergrun, PJ Kaiowá, Fabi Marques, Natalia Marques, Letícia Pusti, Cássio Ribeiro, Pacha Urbano

Almanaque Guará #05. Ivo, Pedro; Cipriano, Gleisson; Kociuba, Lauro; Pinheiro, Rapha; Soliver, P.R.; Wiedergrun, Vitor; Kaiowá, PJ; Marques, Natália; Marques, Fabi; Pusti, Letícia; King, Eddie; Lasae, Paulo; Palma, Marcelo; Urbano, Pacha

Almanaque Guará #06. Pinheiro, Rapha; Gusmão, Mariane; Ivo, Pedro; Kaiowá, PJ; Marques, Natália; Marques, Fabi; Pusti, Letícia; Ribeiro, Cássio; Urbano, Pacha

Almanaque Guará #07. Pinheiro, Rapha; Gusmão, Mariane; Kaiowá, PJ; Marques, Natália; Marques, Fabi; Pusti, Letícia; Kociuba, Lauro; Soliver, P.R.; Cau, Mario; Jardins, Thamara; Medeiros, Ranulfo; Caraca, Pedro; Urbano, Pacha

Almanaque Guará #08. Valladão, Osmarco; Moon, Juliana; Nolasco, Renata; Pinheiro, Rapha; Gusmão, Mariane; Kraus, Rafael; Soliver, P.R.; Cau, Mario; Jardins, Thamara; Ribeiro, Cassio; Urbano, Pacha

Espetaculare Meneghetti. Fyre, Kash

Kriança Índia. Campos, Rafa; Maia, Álvaro

Crisálida. Velo, Vinícius

Teocrasília, Livro 1: O Fim da Inocência. Mello, Denis

Teocrasília, Livro 2: As Sombras do Cárcere. Mello, Denis; Contador, Alexandre

Equipe Guará

Diretor: Gabriel Wainer

Diretor Assistente: Francisco Cunha

Editor-Chefe: Rapha Pinheiro

Editora Assistente: Ananda Valle

Comercial: Pedro Curi

Gerente Comercial: Mariana Pereira

Comunicação: Agência Fantasma Digital

Imprensa e revisão: Rafael Kraus

Financeiro: Francisco Paschoal

Estagiário: Mateus Domingos

55 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo