Quer fazer quadrinhos? Vem cá... vamos conversar



Esses dias eu recebi um comentário que me deixou pensando…


"Quero criar um quadrinho e isso já faz uns 12 anos tenho tudo, personagens, ideias, universo mas sempre que tento, não sai".


Você praticamente tem tudo, mas não começa, por quê?

Por que você provavelmente não sabe por onde iniciar?

Qual a melhor decisão? Estudar?


Vamos por partes sobre estudar quadrinhos e o desejo de ter uma obra.

Aprender a fazer quadrinhos é igual a aprender a fazer bolo. Você tem uma receita e, seguindo ela, tem um bolo. Mas existe uma diferença entre você fazer um bolo e querer ser confeiteiro. Pra ser confeiteiro terá que estudar quadrinhos. Ler livros, entrar em uma escola. E por aí vai. Mas se quiser apenas fazer seu quadrinho, segue a receita.


A receita do quadrinho: Pegue uma história (texto), conte ela com desenhos em quadros. O começo, a parte do meio e o final.


Você quando pega um quadrinho na mão, de outro artista, com o qual se identifica bastante, precisa estudar ele. Precisa ver como eles começam. Como eles passam de uma cena pra outra. O que acontece quando viramos a folha, e o que ele deixa pra você no final das 22 páginas.


Cada quadrinho é de um jeito. Mas todos têm um pouco de tudo que todo mundo já usou, já fez igual. As histórias que vivemos são basicamente as mesmas, "ser humano - relação", com pontos de vistas diferentes. De um olhar diferente. Romance, terror, comédia. Tudo é muito do mesmo. O que você precisa é parar de buscar algo além daquilo que você saberia contar.


Se você sabe contar um romance, mas gostaria muito de colocar ação, pancadaria, lutas interestelares, mas não sabe fazer isso bem, ou você estuda, ou você simplesmente não procura ir por esse caminho.


Se você esperar tempo para criar algo, nunca irá conseguir sua obra-prima. Quanto mais tempo você adiar, mais tempo vai demorar a aprender.


Aliás, você não pode somente ler as receitas, guardar a quantidade de ovo e de leite, e quando precisar de um bolo fazer um. (Não vai adiantar nada só estudar). Pra ser bom confeiteiro a ponto de saborear seu próprio bolo, você vai precisar fazer muitos bolos.


A cobrança?

Olha, cobrar a si mesmo é a melhor coisa que você faz para melhorar seu desempenho.

Não gostar do resultado, achar ruim, desistir, se frustrar. Não vai ajudar você. Questione se você quer fazer um quadrinho pra você ou para os outros.

(Não sei, já conheci pessoas que gostavam de desenhar para mostrar seus desenhos aos outros por um tempo).


Se você faz para você, isso dá prazer. Não tenha medo de contar a história que você gostaria de ler. Não tenha medo se fulano vai gostar ou não.


Se em algum momento quis contar algo mas o suposto julgamento das pessoas o impediu _ eu não posso contar isso! _ você está impedindo seu desempenho. Ninguém consegue aprender a fazer bolo treinando com tortas e salgados.


Como você vai começar seu quadrinho?

Pelo simples, pelo óbvio, pelo clichê. Pelo caminho que todo mundo geralmente costuma fazer. “Nossa, mas é o clichê que me desanima quando tento”.

Então, comece pelo inesperado, pelo imprevisível, pelo lado complexo. Mas tenha em mente! Como em uma redação, seja objetivo. Seja claro para que o leitor entenda o que está acontecendo em cada quadro. Não conte a ele algo que não importa pra história. Só conte as coisas importantes. Se questione: "isso é importante"? Fará diferença pro leitor saber disso ou não? “Poxa, minha história vai acabar em 5 folhas”. Pois bem, não deixa de ser a sua história em quadrinhos de 5 folhas. “Desse jeito então eu vou acabar fazendo tirinhas”. Pois bem…


Na verdade, eu gostaria de criar algo grande será que eu consigo? É a mesma coisa do bolo, será que você conseguiria fazer um bolo de casamento sem passar pelo bolo de fubá?


Sobre o traço. A cobrança sobre o seu desenho ser bom o suficiente ou não.

(É a mesma coisa da decoração do bolo). (Sabor é roteiro. Traço é decoração).


Só o tempo. Só o tempo vai melhorar seu traço, deixar ele realmente simétrico. Deixar bonito ao "seu" ponto de vista. E esperar é a melhor coisa que pode ajudar você nisso.

Osamu Tezuka já dizia: "Mangá não é desenho, é história".

Enquanto você fizer quadrinhos, você estará praticando. E tudo irá melhorar.


Tá bom, então como eu monto tudo isso e, por fim, faço meu quadrinho andar?

Se tiver as ideias guardadas na gaveta, tire elas e as coloque na mesa. Se tiver só na cabeça, escreva todas no papel. (Corte vários papéis - ou use um post-it.):


Conte para o papel o que você imagina pra sua história. (Poucas palavras).

Conte aquelas "coisinhas" que tanto você acha que seriam legais.

Conte para o papel como seria o começo_ como seria o final.

Conte ideias novas que surgirão enquanto escreve.

Escreva as ideias da sua história uma por uma.

Organize elas sobre a mesa, cena por cena. Do começo dela até o fim.

Olhe cada ideia. (você vai precisar ligar um acontecimento ao outro com mais post-it). E também vai precisar tirar post-it se não fizer diferença pra história naquele momento.


Você verá a sua história pronta. Do começo ao fim.

Gostando ou não. Será o que você tem pra hoje.


Não vai poder melhorar (adiar). Quem sabe surja algo novo daqui a uns dias. Não.

Ela é aquilo. E você vai precisar trabalhar sobre ela como um dever de casa que a professora passa. A nota será boa ou não? Vai depender do quanto você está disposto a caprichar. O professor também vê o esforço. Não somente a resposta correta. Você vai decidir quantas páginas vai ter sua história. Se for dois volumes ou mais... vai ter que decidir até que parte do post-it vai contar o primeiro volume, e por assim em diante.


Eu aconselho começar pelo bolo de fubá. Sempre.


Por mais simples que seja a história, elas sempre ficam complicadas. Então escolha a mais simples de todas. A óbvia, a "tava na cara". Você vai ver que ainda assim serão complicadas.

E aconselho você a se dedicar, a dar o melhor mesmo que existam momentos de preguiça. Porque desenhar dá preguiça.


Se algo não estiver funcionando… “isso não tá legal”, “não foi assim que eu imaginei”. Refaça o roteiro (a partir daquilo que você já desenhou). Se vira. É seu compromisso.


Se algo surgir como, “nossa, isso ia ser tão legal se acontecesse vou incluir aqui”, “e não vai interferir no roteiro”. (ok). Vai ter que mexer na próxima página? (esquece... anota essa ideia e deixa pra uma próxima encarnação). Não deixe o roteiro sair da linha. Não aumente o número de páginas. Cumpra seus prazos, se dedique.


É impossível transformar o trabalho em prazer. Mas o prazer vem depois de todo trabalho.

Não cobre de você algo que você não pode dar. Ter em mãos um trabalho feito por você (bom ou não a seu ver) será prazeroso. Você esperou 12 anos para realizar um sonho. Quando na verdade só não realizou porque não queria ver um resultado ruim. Normal. E não por você não saber fazer... mas por você achar que não ficaria bom o suficiente.


Se você realmente quiser estudar antes de colocar a mão na massa, eu posso dizer que encontrará muitos livros. Mas se você apenas quiser fazer uma história em quadrinhos, contar sua ideia... comece hoje mesmo.

E não pare.

Não permita ficar em cima do muro.

"Tô cansado, tô com sono". Vai dormir. Acorde. Cumpra seus prazos. Terminei... lazer.

Bom, espero ter ajudado. O que precisar, e eu puder ajudar, manda aí!

35 visualizações
© Universo Guará - 2020 | Av. das Américas 500, bloco 16, entrada B, sala 313 | CNPJ: 28.893.688/0001-03 (Quadrinhos)